Você se alimenta bem?

Hoje em dia, existe um consenso entre os profissionais de saúde, tanto nacionais quanto internacionais, que para gozarmos de boa saúde, além de dormir bem, beber água, movimentar-nos, reduzir o estresse, administrar as emoções e reservar um tempo para fazermos o que gostamos, é fundamental que nos alimentemos bem.

Existe uma grande variedade de dietas e regimes alimentares, cada qual com as suas características e particularidades. Na verdade, os regimes alimentares oferecem bem mais que simples diretrizes de como devemos nos alimentar. Muitas vezes, sugerem mudanças que acabam transformando por completo a nossa rotina.

A alimentação no estilo mediterrâneo sugere, por exemplo, o consumo de azeite de oliva, peixes, vinho tinto e oleaginosas,  além de muitas verduras e legumes. Há várias pesquisas que registram que este tipo de regime alimentar propicia a longevidade, diminui o risco de doenças do coração e, melhora a qualidade do sono.

a dieta mediterrânea propicia a longevidade

A dieta do tipo sanguíneo, criada pelo Dr. Peter D’Adamo, autor do livro Eat Right for Your Type (Coma de acordo com o seu tipo sanguíneo), aponta os alimentos que são benéficos, assim como os que não são, em relação ao tipo sanguíneo da pessoa. Além disso, esse regime sugere os tipos de exercícios mais adequados para cada tipo de sangue.

Estes são apenas dois exemplos de regimes alimentares. Há o vegetariano, o vegano (exclui todos os produtos de origem animal não só da sua dieta como de tudo o que consomem), a comida crua, a lista é grande. Mas, qual regime alimentar adotar? Você é a melhor pessoa para descobrir isso. Faça experimentos, tente regimes diferentes, faça uma combinação de dois ou mais regimes, aprenda a ouvir o seu corpo, para saber quais são os alimentos que lhe fazem bem e, aqueles que lhe caem mal.

Uma coisa é certa: independentemente do regime que adotemos, uma alimentação de qualidade é primordial.

Uma regra básica é investirmos no hábito de comer alimentos frescos, de preferência orgânicos, o máximo que conseguirmos, porque os agrotóxicos são uma ameaça à saúde! Mesmo que não se possa comer tudo orgânico, qualquer aquisição por menor que seja, vai fazer muita diferença ao longo do tempo.

Porém, antes de qualquer coisa, há uma recomendação que é unanimidade entre as maiores autoridades da saúde da atualidade: precisamos eliminar os venenos da nossa alimentação, que são, segundo eles, trigo, outros grãos com glúten, açúcar refinado, laticínios, enlatados, defumados, carnes salgadas, frango e ovos com hormônios, adoçantes, acidulantes, corantes e, todos os tipos de aditivos químicos.

Esses alimentos provocam vários tipos de alergias, intolerâncias e desconfortos físicos, emocionais e até mentais que acabam se transformando na maioria das doenças modernas. Se conseguirmos eliminar esses alimentos da nossa mesa, com certeza, iremos economizar nas contas do médico e da farmácia.

Seja como for, estude, pesquise, observe-se e vá fazendo ajustes até conseguir a proeza que é encontrar o regime ideal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TESTE