Uma canja com propriedades anticancerígenas!

Eu me lembro perfeitamente de um sábado que resolvi ir à Feira de Orgânicos da Glória, para comprar ingredientes para fazer uma super canja, para uma amiga que lutava contra um câncer. A minha ideia era acrescentar temperos anticancerígenos a uma bela de uma canja, que, segundo os mais velhos, cura até a alma.

Enquanto fazia a canja, comecei a pensar sobre essa doença que nos últimos anos se tornou uma epidemia em ascensão. Recentemente, o INCA publicou no seu site oficial que há uma estimativa de 394.450 novos casos de câncer no Brasil, para esse ano de 2014.

Essa altíssima incidência tira o sossego da gente e, naturalmente nos faz perguntar: O que será que está acontecendo?

uma canja que é remédio

Canja feita com super alimentos e temperos anticancerígenos. Tudo orgânico!

A solução oferecida pela medicina vigente para pacientes de câncer são tratamentos como a radioterapia, a quimioterapia, além das cirurgias para extrair as partes afetadas do corpo.  Os doentes são submetidos aos mesmos tipos de tratamentos, que se destinam a destruir as células cancerosas no corpo físico.

Difícil não lembrar do que o Dr. Edward Bach, pioneiro na utilização dos florais, dizia com toda a segurança e firmeza: “não devemos tratar as doenças, mas sim os doentes”. Depois de anos de prática como imunologista e homeopata, o médico inglês percebeu que cada paciente que tratava reagia completamente diferente ao mesmo medicamento. Foi em busca de um tratamento para essa “individualidade” dos doentes, que, segundo ele, é onde residem a causa e a cura das doenças, que o Dr. Bach descobriu os florais.

Não estaria, então, faltando alguma coisa aos tratamentos convencionais? Afinal de contas, nós somos muito mais que apenas um corpo, não somos?

Aonde vão parar as emoções, os pensamentos e os sentimentos, que fazem parte dessa nossa “individualidade” que faz com que uma mesma doença e um mesmo medicamento se apresentem, se desenvolvam e interajam com cada doente de uma forma única???

Segundo a cientista americana e autora do livro Molecules of Emotion (Moléculas de Emoção) Dra. Candace B. Pert, Ph.D, atrás de toda e qualquer doença existe uma emoção mal resolvida.

O que é feito dos traumas, aborrecimentos e mega estresses, que de acordo com inúmeras pesquisas sobre o assunto, antecedem o aparecimento de todos os tumores malignos?

Segundo ícones internacionais da área da saúde, como a filósofa Louise Hay, o médico Deepa Chopra, o fundador da Psicologia Analítica Carl Gustav Jung e muitos outros, toda essa “individualidade”  precisa ser tratada, tanto ou mais que o corpo físico. Toda essa bagagem precisa ser reconhecida, entendida e resignificada. Quando decidimos olhar para o nosso lado “obscuro”, ouvir sem julgar o seu “grito de socorro” e, ao fazer isso, “lamber as nossas feridas”, aumentamos muito as nossas chances de nos curarmos.

Louise Hay, autora do best seller “Você pode curar a sua vida” e de um vasto material sobre o assunto, curou-se totalmente de um câncer, depois de ter recebido uma sentença de morte. Louise afirma que o câncer, assim como toda doença é um aviso de que alguma coisa ou muitas coisas precisam mudar, de dentro pra fora. É por isso, explica Louise, que apenas cirurgias e quimioterapia não são suficientes. Se a pessoa acometida por um câncer, assegura ela, não fizer um esforço honesto para se liberar de pensamentos, emoções e tudo mais no seu estilo de vida que seja tóxico, a doença vai aparecer em outro lugar do corpo.  Louise Hay enfatiza que os ressentimentos e as mágoas são verdadeiras fábricas de tumores e, que a única forma de “cortar o mal pela raiz” é limpar o corpo e a alma, conclui a célebre filósofa.

Como fazer isso? Bem, essa é uma jornada de autoconhecimento, de experimentações, de muita pesquisa sobre tratamentos e terapias que cuidem do corpo e dessa nossa individualidade. Temos de dar uma de detetive, para encontrarmos as peças do “quebra-cabeças”da nossa cura. Precisamos estar atentos aos sinais. As respostas podem estar em livros, em conversas, em palestras, na prática de medicinas milenares, em insights que temos quando entramos em contato com a natureza, e, por aí vai.

Essa empreitada ninguém pode fazer pela gente. É essencial que passemos a ouvir aquela vozinha que mora lá dentro de nós. Pessoas pra dizer o que devemos ou não fazer não vão faltar, faz parte. Mas, é aquela vozinha, que, muitas vezes, subestimamos … é que sabe sempre o que é melhor para nós.

Ninguém está dizendo que é fácil. É preciso determinação, comprometimento com o processo e, muuuuita disposição.

Por outro lado, são inúmeras as recompensas de seguir por esse caminho. Uma delas é de repente nos depararmos com um amor enorme por nós mesmos… um amor generoso, compassivo, i n c o n d i c i o n a l, que nos acolhe, nos aconchega, nos protege e nos dá permissão de sermos quem realmente somos. Esse amor é capaz de dissolver qualquer tumor…

Oops! Quando a canja ficou pronta, um aroma delicioso se espalhou por toda a cozinha. Hummmm!!!!! Que delícia! A receita dessa canja é a seguinte:

Ingredientes:

  • ½ frango caipira sem antibióticos (como por exemplo da marca Korin)
  • 2 ou 3 folhas de couve (alimento super nutritivo)
  • ½ alho-poró (anti-inflamatório)
  • 8 raízes de cebolinha (fortalece os rins, dá energia!)
  • 1 maço de funcho (fortalece o pâncreas e ajuda a digestão)
  • 1 cebola roxa (antioxidante)
  • ½ xícara de arroz integral Topanotti (alimento medicinal)
  • 150 grs de abóbora vermelha (antioxidante, anti-inflamatório)
  • 150 grs de abobrinha (diminui o risco de alguns tipos de câncer)
  • 150 grs de batata doce de cor laranja (antioxidante)
  • 150 gramas de inhame (alimento medicinal) 
  • óleo de coco virgem (poderoso anti-inflamatório)
  • ½ coco maduro (poderoso anti-inflamatório)
  • 2 cabeças de alho (fortalece o sistema imunológico)
  • cogumelos maitake (poderoso anticancerígeno)
  • açafrão (poderoso anticancerígeno)
  • orégano (poderoso anticancerígeno)
  • sal marinho

Modo de Fazer:

Refoque todos os ingredientes em uma panela grande com o óleo de coco. Reserve a abobrinha e o arroz integral.

Importante:  Use panelas de vidro, aço inox ou cerâmica. Evite as panelas de alumínio, porque são mega tóxicas.

Antes de cozinhá-lo, deixe o arroz integral de molho pelo menos por uma hora. Coloque-o para cozinhar em fogo alto, em uma panela de pressão, com 1 ¼ de xícara de água e um pouquinho de sal marinho, até obter uma boa pressão. Abaixe o fogo até o mínimo e deixe por uns 35 minutos. Desligue o fogo e deixe a panela tampada por mais 15 minutos. Tente comprar o arroz da marca Topanotti porque é excepcional. Você pode comprar no Restaurante Metamorfose, que fica no centro do Rio de Janeiro.

Bata o coco no liquidificador com ½ litro de água. Coe em um pano bem fininho e, acrescente à canja.

Acrescente a abobrinha. Quando estiver quase cozida, coloque o arroz integral.

Tempere com açafrão, orégano e sal marinho a gosto.

Enfeite com os talos da cebolinha que sobraram, cortados em rodelas bem fininhas.

Ah…! Faça um esforço para usar somente alimentos orgânicos…por favor! Você não vai querer estragar uma receita maravilhosa como essa com agrotóxicos, vai???

Este artigo não sugere que as pessoas deixem de tomar as suas medicações e/ou abandonem os tratamentos prescritos pelos seus médicos. A intenção aqui é compartilhar informações que possam ajudar às pessoas a terem mais saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Se gostou do conteúdo, curta a nossa página no FaceBook!

https://www.facebook.com/AlternativasSaudaveis/

Curta a nossa página no FaceBook!

Comentários
  1. 5 meses ago
  2. 5 meses ago
  3. 5 meses ago
  4. 5 meses ago

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TESTE