Dieta? Qual é a melhor pra você?

Quando o assunto é futebol, religião e dieta, não há quem não queira dar seu pitaco. Mas, de todos os assuntos o mais polêmico é dieta,  principalmente, quando você tem uns tantos quilos a mais. Tem gente que chega com ares de autoridade, olhando você de cima pra baixo e, começa a desenrolar o rosário, entre tapinhas nos ombros, pequenos sermões, lições de moral e, olhares de reprovação, como se você fosse uma criança perdida. Fala sério, ninguém merece!

Todo mundo acha que sabe qual é a melhor dieta pra você!!!

Todo mundo acha que sabe qual é a melhor dieta pra você!!!

Isso, sem falar daqueles velhos clichês, que doem mais que cabeça de nego, quando estoura na sua mão… Minha nossa! Alguém já ouviu coisas como “mas, o que te falta é força de vontade, minha filha!” ou então “que pena, você tem um rostinho tão bonito (reticências)…” e, por aí vão os velhos refrões das pessoas que acham que sabem tudo.

Ninguém pergunta, por exemplo: Como você se sente? Ou: Você já conseguiu curar a sua compulsão por comida, que é o que tem por trás de 95% dos casos de sobrepeso e obesidade? É muito raro alguém ter essa perspectiva do problema. Em primeiro lugar, porque a maioria das pessoas desconhece o que há por trás dos bastidores da obesidade. E, depois, porque é bem mais fácil rotular os gordinhos de “pessoas sem força de vontade” e, tratá-los como “ignorantes” quando o assunto é comida, o que é uma grande injustiça!

Mas, hoje não vamos discutir sobre obesidade nem compulsão por comida. O nosso papo hoje aqui é sobre como descobrirmos, no meio dessa avalanche de informações, impressões, opiniões, pitacos, e dietas de todos os tipos e maneiras, qual é o melhor sistema de alimentação pra nós, de acordo com a nossa história, personalidade, constituição física, histórico de saúde, alergias, intolerâncias, gosto, estilo de vida e, por aí vai.

Em meio a tantas opções, qual seria a melhor dieta para mim?

Em meio a tantas opções, qual seria a melhor dieta para mim?

Quantos sistemas de alimentação, quantas dietas existem, gente? Inúmeras! Um monte delas! Algumas delas apenas endereçam o corpo físico, outras, geralmente acopladas a filosofias, têm escopos maiores, que incluem os aspectos emocional, mental e espiritual em suas abordagens. Há aquelas que são ditadas por religiões, enfim, tem dieta pra todos os gostos.

E, é evidente, que os especialistas estão aí, para nos dar referências e, compartilhar a experiência deles, o que é muito bom. Há os endocrinologistas, nutricionistas, nutrólogos…especialista é que não falta, para nos passarem dietas.

Tem a turma que defende a proteína com unhas e dentes. Proteína! Proteína! Proteína! Nada de grãos! Mesmo os integrais, que há bem pouco tempo eram tudo de bom, de repente, viraram “suspeitos”. Há os vegetarianos, que não comem animais. Os veganos fazem parte da trupe, que, além de não comerem animais, não usam nada que for  feito e/ou derivado de animais. Essa é uma das dietas que vem acompanhada de uma filosofia. Há os que adeptos da alimentação crua, ou crudivorismo, ou comida viva. Há aqueles que vêem benefícios medicinais em se comer alguns legumes cozidos por muitas horas. O que também não faltam são controvérsias, poxa vida!

E, aí, vocês irão me perguntar: como saber qual é o melhor sistema de alimentação para nós no meio desse amontoado de opiniões, correntes, ideias, modismos e, também, muito radicalismo?

Vamos lá:

Unanimidades

Os prejuízos que o consumo de açúcar traz para nós são infinitamente maiores que aqueles pouquíssimos e vazios minutos de prazer! Diga não ao açúcar!

Os prejuízos que o consumo de açúcar traz para nós são infinitamente maiores que aqueles pouquíssimos e vazios minutos de prazer! Diga não ao açúcar!

Há aquelas unanimidades, que nós não podemos desprezar, porque são pontos, onde vários sistemas de alimentação se encontram. Quais seriam essas unanimidades?

Açúcar, não! Isso inclui açúcar e carboidratos refinados

Começar o dia bebendo 2 copos de água com o sumo de um limão

Comer verduras, legumes e frutas

Não tomar líquidos junto com as refeições

Evitar frituras

Não fazer a última refeição depois de 20 horas

Estabeleça um diálogo com o seu corpo

Aprenda a ouvir o seu corpo!!!

Aprenda a ouvir o seu corpo!!!

Para conseguirmos essa proeza, precisamos aprender a ouvir o nosso corpo, a observar como nos sentimos, a perceber não somente as reações físicas, mas também como ficamos, como nos comportamos ao comermos os alimentos.

O nosso próprio corpo irá sinalizar para nós o que nos faz bem, o que não faz, quais são os alimentos que nos beneficiam e, os que nos adoecem, qual é a rotina que nos dá energia e disposição e, qual a que nos derruba. Precisamos apurar os sentidos e, nos observar.

Pesquisador e pesquisado

Experimente ser o pesquisador e o pesquisado ao mesmo tempo!

Experimente ser o pesquisador e o pesquisado ao mesmo tempo!

O nome desse jogo chama-se auto-observação. Quem está afim de fazer esse empreendimento, precisa aprender a arte de ser seu próprio pesquisador, sendo o pesquisado ao mesmo tempo. Difícil? Não é difícil. É apenas uma questão de hábito. Nós podemos ensinar para nós mesmos tudo aquilo que queremos e precisamos.

 

Ainda não posso dizer que tenha encontrado a minha dieta ideal, mas fiz algum progresso. Para mim, por exemplo, funciona muito bem, eu começar o dia com água com limão e, só tomar sucos, pela manhã. Existe essa teoria que não comer nada sólido até meio dia facilita o processo de eliminação do corpo. Pra mim essa teoria se aplica. É tiro e queda.

Outras coisas que já comprovei, pela experiência, é que não funciono bem com glúten, que ovos me sustentam, açúcar nem pensar e, que se fizer a última refeição tarde, não vou ter uma boa noite de sono.  Além disso, se não fizer o mínimo de exercício, meu intestino fica preguiçoso e, eu perco o foco. Afinal, o intestino é o segundo cérebro. Se me pré-ocupar demasiadamente, fico sem chão. Segundo a medicina chinesa, o excesso de preocupação desestabiliza o meridiano do baço/pâncreas, que são os órgãos, que nos dão o centro, a estabilidade, o chão. Bacana esse raciocínio, não?

Procurem se informar, pesquisar, buscar as informações que precisam, para irem montando o quebra-cabeças de vocês, que é único e, só vocês podem completá-lo. Muita calma nessa hora, porque isso não acontece da noite pro dia. É um processo, no mínimo, a médio prazo. No entanto, são muitas as recompensas são muitas. Vocês podem se surpreender!

E, aí, o que estão esperando? Mãos à obra, pessoal! Depois, passem por aqui, pra nos contar como está sendo a sua experiência!

Até a próxima!

Se gostou do que leu, curta a nossa página no FaceBook! Valeu!

https://www.facebook.com/AlternativasSaudaveis

Curta a nossa página no FaceBook!

Curta a nossa página no FaceBook!

 

Comentários
  1. 9 meses ago
  2. 9 meses ago

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TESTE